Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Pablo Neruda’ Category


Livro:
 O Coração Amarelo
Autor(a): Pablo Neruda
Editora:
 L&PM
Páginas: 88

Nota: 4
(sendo: 1- Não gostei 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5Adorei)

~

E de tanto não responder, tenho o coração amarelo”.

Acho que essa frase diz muito sobre esse livro de Neruda, que não poderia ter um nome mais propício. Acredito que o Amarelo foi usado pelo autor para denotar a tristeza, angústia, aperto no peito e cansaço. O livro foi escrito pouco tempo antes dos anos cruéis e terríveis da ditadura em seu país, o Chile. E é como se os lindos poemas de Neruda reunidos neste coração amarelo fossem uma homenagem às amizades e amores que teve em sua vida. De todos os belíssimos poemas, destaco “O tempo que não se perdeu“, e termino com uma frase que me chamou atenção:

O medo é também um caminho”.

Leitura recomendada!

Anúncios

Read Full Post »

Não se contam as ilusões
nem as compreensões amargas,
não há medidas pra contar
o que não podia acontercer-nos,
o que nos rondou como besouro
sem que tivéssemos percebido
do que estávamos perdendo.

Perder até perder a vida
é viver a vida e a morte
não são coisas passageiras
mas sim constantes, evidentes,
a continuidade do vazio,
o silêncio em que cai tudo
e por fim nós mesmos caímos.

Ai! o que estave tão cerca
sem que pudéssemos saber.

Ai! o que não podia ser
quando talvez podia ser.

Tantas asas circunvoaram
as montanhas da tristeza
e tantas rodas sacudiram
a estrada do destino
que já não há nada a perder.

Terminaram-se os lamentos.”

. Pablo Neruda in O Coração Amarelo .

Read Full Post »

E não há remédio.

Por que aceitar o que não substitui
a água pura, o vinho do vinhedo,
o pão profundo que não era nosso pão,
as presenças insignes ou impuras
que eramos nós mesmos e não estão,
e não porque estão mortas, mas sim
porque não estão, e não há remédio”.

. Pablo Neruda in Elegia .

Read Full Post »

Cidade Louca

…e não foi assim o amor, senão uma cidade louca
onde as pessoas empalidecem nas sacadas”.

. Pablo Neruda in Cem Sonetos de Amor .

Read Full Post »

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde
te amo diretamente sem problemas nem orgulho
assim te amo porque não sei amar de outra maneira

senão assim deste modo em que não sou nem és
tão perto que tua mão sobre meu peito é minha
tão perto que se fecham teus olhos com meus sonhos”.

. Pablo Neruda in Cem Sonetos de Amor .

Read Full Post »

O impossível…

Não é só aquele homem e sua mulher
mas aquele ar, e não dizer-se nada
para se entender sobre o impossível”.

. Pablo Neruda in Elegia .

Read Full Post »

Perguntas

As lágrimas que não se choram
esperam em pequenos lagos?

Ou serão rios invisíveis
que escorrem até a tristeza?”

. Pablo Neruda in Livro das Perguntas .

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: